Sebos X Livrarias




Hoje fui dar um passeio em um sebo aqui da cidade. Muito legal por sinal. Bem grande, e um acervo igualmente grande. Da primeira vez que fui apenas olhei o que tinha e não levei nada, dessa segunda meu foco foram os quadrinhos. Senti alguma dificuldade para procurar umas coisas. Como os corredores são estreitos e sou um pouco grande (camiseta 3G rs), fiquei desconfortável, mas tranquilo, continuei procurando.

Como eu estrava com o orçamento restrito não poderia levar muita coisa, mas acabei achando coisas legais, mas eu fiquei um pouco impressionado com os preços. 

Realmente os sebos já não são como antes. Ainda é aquele lugar bacana, onde você encontra coisas legais que não estão mais nas lojas ou não são tão fáceis de achar. E tem aquele cheiro inconfundível de coisa antiga (coisa velha para alguns). Mas parecem que muitos estão mais para livrarias do que para sebos. 


Difícil achar essas promoções hoje em dia. 


Eu gosto de sebo. Sempre achei legal. Acho que é aquele sentimento de estar em local e época errada, estar deslocado mesmo. Gosto de vinis antigos, livros. Tem muita coisa boa. Nossa cultura está em queda, desculpe mas eu acho isso. 

Mas o que era um charme ou algo para manter a memória, virou negócio -muito- sério. Claro que eu entendo isso. Me colocando no lugar de dono acredito que faria o mesmo. Mas ai me pergunto: "Até onde vale a pena?". Vi livros praticamente novos (lembrando que a máxima do sebo é material de segunda mão) mais caros que nas livrarias, vinil - que é algo que tu também gosto - não é como antes. Cheguei a pagar cinco ou dez reais em um vinil. Lá havia um dos Titãs por trinta reais. Livros eu já comprei por cinco, dez, quinze reais. 

Os quadrinhos que peguei deu um total de trinta reais, era o que eu tinha no momento. Encontrei Crise Infinita completa, mas estava quarenta reais. Poxa, ouvi umas conversas que ela pode ser relançada, esses relançamentos normalmente vem encadernados ou capa cartonada de ótima qualidade e o valor é quase esse - isso quando não é mais barato. 



Minhas aquisições, um total de 30 Dilmas. 

Peguei Sandman Apresenta Lúcifer por R$ 8,00, o preço de capa é de R$ 11,90; Liga da Justiça - Batismo Negro partes 1 e 2 paguei R$ 3,00 cada, preço de capa R$ 3,50; Batman Dinastia Cavaleiro das Trevas (esse peguei por achar interessante, acho que nada tem a ver com a cronologia normal) paguei R$ 15,00 e o preço de capa é R$ 18,90

Mas ai você pode dizer: "Ah, mas esse preço de capa é de anos atrás", e eu concordo, mas não são edições, digamos, raras. Então qual a razão desse valor. Será que estão equiparando os valores dos quadrinhos atuais? O da Liga da Justiça tem umas 48 páginas, e é de 2002 em formato americano. Hoje, em Batman Eterno eu pago R$ 3,50 em uma hq de 28 página em um formato um pouco menor que o americano. Será que esses da Liga da Justiça não poderiam ser vendidos por no máximo R$ 2,00? Deixei de pegar um do Asa Noturna que estava R$ 4,00. Mesmo tamanho do da Liga da Justiça. 



E depois os dedos sujos de ficar caçando. 

Podem falar que é a inflação, a crise, o nosso poder de compra que diminuiu muito nesses últimos anos. Mas o fato é que hoje em dia os sebos não tem mais aquele romantismo  e preços que havia antes, ainda mais se você não tiver dinheiro suficiente. 

Mas eu já tinha ouvido e visto outros relatos como esse, segue um vídeo da Thais Godinho sobre esse assunto. E olha que ela é escritora, então fala com conhecimento de causa.






Alguns sites e lojas específicas de quadrinhos acabam abusando dos preços dependendo do material. Parece que os sebos estão seguindo esse mesmo caminho. É realmente uma pena. Há quem possa comprar nesses sites especializados e há quem prefira ou precisa procurar em sebos. Não creio que isso irá mudar muito, o jeito é continuar procurando e procurando... 



Isso é um paraíso para mim, se tiver grana, claro. 


E você, costuma ir à sebos? O que acha? Quais suas experiências? 
Deixe seu comentário abaixo. 


É isso ae.

Comentários

  1. Legal o artigo... Onde fica esse sebo? Tudo que é underground, old school, roots... me agrada. Nada como o perfume de páginas amareladas pelo tempo...

    ResponderExcluir

Postar um comentário