Solanin

Tentarei não me prolongar nessa resenha. Mas confesso que vai ser complicado. Sabe como ficamos quando falamos de algo que estamos apaixonados? Pois bem, é assim que me sinto com Solanin. 

"Solanin 1, do premiado quadrinista japonês Inio Asano¹, o jovem casal de namorados Meiko e Taneda decide dar uma virada em suas vidas e ir atrás de seus sonhos de música e liberdade. "



Não vou colocar a sinopse do segundo volume, pois, eu desejo muito que você leia. E, acredito eu, se não souber a sinopse do segundo volume ficará tão surpreso quanto eu fiquei. 



Sabe a vida? 

É. 

Aquela coisa que temos que lidar sem ao menos um manual, sem test-drive ou poder de resetar algumas situações? Então. Esse mangá fala dela. 


Das nossas escolhas, desejos, sonhos. O que temos que fazer contra nossa vontade, para nos encaixarmos na sociedade, deixar tudo de lado, aceitar tudo e ainda dizer um "obrigado" com sorriso no rosto. 



Mas o que acontece quando resolvemos trilhar nosso caminho? Fazer aquilo que sempre desejamos, que sempre sonhamos? Será que esse realmente é o melhor caminho? O que é melhor para nós?


São perguntas, dúvidas e reflexões. Sabe lá no começo do texto que eu disse que é complicado falar de algo que somos apaixonado? Eu posso dizer que me apaixonei por esse mangá. Já lí muita coisa boa mesmo, mas esse material é algo sensacional. O texto é muito bem feito. Os diálogos são ótimos. Duvido que você não vá se ver em algum diálogo, quadro, página ou capítulo. Eu me vi em muitos lugares. Para mim, o capítulo 8 foi o mais reflexivo. O texto é realmente ótimo. 




Meiko e Taneda moram juntos. São novos ainda. Ela é mais madura que ele. Ele tem sonhos. Trabalha apenas para ter uma renda - que não é lá essas coisas. Mas ele não se sente bem, não é isso que ele deseja. O sonho dele é antigo e foi sendo deixado de lado. Meiko também não quer mais continuar no mesmo caminho, ela percebe que não tem futuro, ou pior, não tem presente. Ela quer aproveitar a idade, a vida. Assim como Taneda quer poder tocar. Quer que sua banda seja conhecida. Quer viver de música. 



Mas "a vida não permite ensaios"² e não temos como saber se algo vai dar certo ou não. No decorrer da história vemos as decisões deles, as brigas e conflitos. As dúvidas e a ajuda dos amigos que os influenciam e são influenciados. Está tudo conectado. 



Quando menos esperamos, algo cai em nossa cabeça e desmoronamos. Ficamos no chão. Sem forças para levantar ou ao menos abir os olhos. O desejo maior é que tudo acabe-se ali mesmo. Naquele exato momento. Nada mais faz sentido. Se algo ainda poderia dar certo, hoje não há mais possibilidade. É o fim. De repente algo acontece e conseguimos força, começamos a tentar novamente. Com o espírito renovado e o pensamento longe.



Eu me emociono em filmes, em livros em quadrinhos. Pode ser bobeira ou não. Não sei. Mas sou assim e não tenho vergonha de admitir. Eu entro na história, começo a fazer parte dela. Me apego aos personagens. E desejo que tudo se resolva bem para quem mereça. E Solanin fez isso comigo. Em vários momentos eu fiquei triste, fiquei alegre, esperançoso, me arrepiei e chorei. Sim. Eu chorei em alguns momentos.





Os desenhos são ótimos, realmente ótimos, eles expressam sentimento e você recebe essa sensação como um baque no peito. O que eu achei mais incrível foi passar essas sensações em cenas da banda. Como passar emoção em uma cena de uma banda onde você não ouve uma só nota? Inio conseguiu fazer isso. Parecia que eu estava ouvindo a banda. E eu sabia os motivos que os levaram até aquele momento, tudo que passaram. Todos os sentimentos envolvidos. E isso foi realmente incrível. Com certeza uma experiência que eu gostaria que você, meu amigo leitor, tivesse. 



Mas não termina por aqui. Quando eu estava pesquisando mais sobre esse material, eu descobri que há um filme em live-action, ou seja, com atores reais de Solanin. E há um clipe da música da banda, e eu tive as mesmas sensações da leitura, já que os atores são realmente parecidos com os personagens do mangá. Complicado saber até onde a vida imita a arte, ou vice-versa. É claro e notório que vou atrás desse filme. Eu preciso sim assisti-lo. E com certeza contarei para você depois. Combinado?




Como bônus desse post, vou deixar aqui o clipe da banda Rotti e a letra de uma música dos Engenheiros do Hawaii que eu cito nesse post. 



Com certeza Solanin vai para minha estante em posição de destaque.



Até mais, e aprecie a música.






Até Mais
Engenheiros do Hawaii


Não foi assim que eu sonhei a nossa vida
A despedida seria até logo mais
Mas a vida não permite ensaios
Não há raios antes do trovão
Não olhe para mim como se eu fosse invisível
Como se fosse possível enxergar nessa escuridão
Não olhe pra trás (odeio despedidas)
Diga até mais!
Mesmo se for adeus

Eu, você e mais ninguém
Só nós dois, nada mais a nosso favor
Eu, você e mais ninguém
Um mundo estranho que queimava sonhos

Ao nosso redor (Eu e você)
Não foi assim que eu sonhei a nossa vida
A despedida seria até logo mais
Mas numa guerra ninguém mede consequências
A gente erra, depois pede perdão

Eu, você e mais ninguém
Só nós dois, nada mais a nosso favor
Eu, você e mais ninguém
Só nós dois, ninguém mais ao nosso redor
Não podia durar para sempre
Não podia ser diferente
Não poderia ter sido melhor
Eu, você e mais ninguém
Só nós dois e nada mais




¹ Inio Asano nasceu em 1980 na província de Ibaraki, no Japão. Em 2001, ganhou o prêmio GX, dedicado a revelar o talento de jovens autores de mangás. Nesse mesmo ano, publicou sua primeira HQ, “Uchuu Kara KonnichiWa” (“Saudações do espaço”), na revista Sunday GX, da editora Shogakukan. Solanin é sua série de maior sucesso, publicada com destaque na Europa, nos Estados Unidos e na China.

² "Mas a vida não permite ensaios" , trecho de Até Mais, letra de Humberto Gessinger.

Comentários

  1. Caraca... que resenha sensacional. Sem palavras!
    pergunta; onde consigo encontrae pra comprar? Onde vc comprou e qual valor?

    Até mais!

    saboiarafa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Rafa!!!
      Então, eu tinha visto em um Instagram e me interessei, achei na Amazon, se não me engano... mas não deu pra pegar... E num raro golpe de sorte achei em um hiper mercado... Se não encontrar em lojas especializadas em mangá, vc acha na internet...
      Abraço !

      Excluir

Postar um comentário