Outcast [série]



Outcast, uma série de Robert Kirkman (de The Walking Dead), derivada de uma história em quadrinhos, em conjunto com o canal Cinemax chega ao fim da sua primeira temporada após 10 episódios.

Usualmente, essas séries televisivas possuem muitos episódios por temporada. Isso pode ser bom, mas pode ser um tiro no pé. Outcast teve dez, é uma quantidade interessante, não cansa e não fica nos enrolando. 

Kyle Barnes é um rapaz que na infância sofreu com possessões demoníacas em sua casa. Ele tenta fugir de tudo isso e se isola de todos. Grande parte dos moradores da cidade acham que ele que teve culpa pelos acontecimentos, mesmo ele sendo uma vítima de tudo. Depois de anos, esses fenômenos retornam, e Kyle se vê na mesma situação do passado, mas agora ele pode fazer algo. 

O líder da igreja na cidade, Reverendo Anderson, acredita que tudo é um plano do Diabo para tomar conta do mundo enviando seus soldados para atormentar os moradores. Ele é conhecido por seu trabalho de exorcismo das pessoas que, supostamente, sofrem dessas possessões. Mas aos poucos ele descobre que todo trabalho feito por mais de vinte anos pode ter sido em vão. 

Considerada uma série de terror, Outcast transita entre o terror e o suspense tranquilamente, sem forçar uma situação. Aos poucos os personagens nos são apresentados, nada muito na cara, o que nos leva a ficar um pouco perdido em alguns momentos. O passado de Kyle é mostrado em pequenos flashbacks, de acordo com a situação do momento. Por conta dos acontecimentos do passado, ele vive longe de sua ex-esposa e sua filha, Amber, e isso é um grande peso que ele tem que carregar. Conforme ele descobre que alguns acontecimentos do passado estão voltando, ele se vê em uma situação complicada. Mas ele tem uma grande ligação com esses acontecimentos, algo que ele irá descobrir aos poucos. 

Ele acaba por unir-se ao Reverendo Anderson para que, juntos, possam tentar entender e descobrir o que acontece na cidade. Mas tudo pode cair por terra por conta da diferença da ideologia de ambos. Enquanto Reverendo Anderson se apega à Deus, alegando que toda culpa é do Diabo, Kyle não acredita nisso, para ele não é tão "simples" assim. Alguns diálogos entre os dois, por conta dessa divergência de pensamento, são muito bons. Por vezes Reverendo Anderson fica na linha tênue entre a fé ou a falta dela, e ele pode soar um tanto chato, em alguns momentos. Mas a chegada de um desconhecido à cidade pode complicar ainda mais toda essa situação. 

Robert Kirkman já é bastante conhecido por The Walking Dead, e em Outcast ele faz um bom trabalho. Nos primeiros episódios podemos lembrar um pouco de TWD, mas aos poucos Outcast cria sua identidade. A série anda bem. Há ótimos episódios, como há episódios mais mornos, com poucos acontecimentos. Mas a história se desenvolve de forma satisfatória, ela não esfrega nada em nossa cara, e deixa muita coisa em aberto para que possamos pensar em algumas teorias. Os episódios finais são os mais tensos da temporada, começa a explicar algumas coisas, mas ao mesmo tempo deixa mais perguntas e nos brinda com algo inesperado. Acredito que a segunda temporada irá manter o mesmo nível. E espero que tenha ainda mais tensão. 


Outcast
Emissora original: Cinemax
Transmissão no Brasil: FOX
Temporadas: Uma com dez episódios.
Criador: Robert Kirkman e Paulo Azaceta (quadrinhos)

Kyle Barnes: Patrick fugit
Reverendo Anderson: Philip Glenister

Avaliação da temporada: ****

Comentários