Rua Cloverfield, 10 [filme]



Rua Cloverfield, 10 pode entrar para a lista dos filmes "Ame-o ou Odeio-o", não acho que é possível ficar indiferente a ele. E a graça pode estar em assisti-lo sem ter visto nada sobre antes, nem mesmo o trailer.


Há um filme chamado Cloverfield - Monstro de 2008, também com produção de J.J. Abrams. Esse eu não conheço, mas pelo que vi não tem muita ligação com Rua Cloverfiled, 10, o que parece ser uma antologia. 


Depois de um acidente de carro, Michelle (Mary Elizabeth Winstead) vai parar no abrigo subterrâneo de Howard (John Goodman) e tem a companhia de Emmett (John Gallagher Jr. Howard). Howard conta sobre invasões, teorias conspiratórias e várias ameaças para justificar esse abrigo. Michelle não quer acreditar naquilo tudo, e começa a procurar respostas.

No começo, o filme parece ser bem previsível. Nesse momento ele foca na apresentação dos personagens. Mostra algumas qualidades e temperamentos. Muitas dúvidas começam a surgir entre os "hóspedes" de Howard. Estariam eles certos? Ou Howard teria toda razão? Parece que a motivação de Howard não faz muito sentido, mas as poucas pistas aparecem nos fazem mudar de opinião e repensar toda a lógica por trás daquela situação. 


O filme ficar por cerca de uma hora sem acontecer muita coisa, e nossas teoria vão mudando a cada instante. Vários clichês de filmes de suspense/terror são usados. Situações banais para filmes desse estilo. Até que em certo momento tudo muda. O filme tem uma reviravolta e a tensão do começo retorna mais forte. Parece que toda lógica estava certa, que as motivações eram as que pareciam ser. Mas tudo muda novamente. E nessa parte que tudo desanda.

É até possível descobrir as motivações, a história ou que vai acontecer. O diferencial é como apresentar tudo isso. Quais soluções serão tomadas para a resolução dos problemas. Dependendo como isso é feito, um filme previsível pode tornar-se ótimo.  Mas em Rua Cloverfield, 10, tudo muda para algo antes nem imaginado. E novamente temos vários clichês e saídas estratégicas de roteiro. Em um certo momento me lembrou a jogos de vídeo-game, onde você encontra a arma certa, para o momento certo, apenas "tropeçando" nela. 


É um filme que tinha tudo para ser ótimo, mas mesmo com bom atores, é uma verdadeira montanha-russa com seus altos e baixos. Mais baixos do que altos, se posso assim dizer. Acredito que a melhor definição desse filme é dita no vídeo abaixo.






Rua Cloverfield, 10
10 Cloverfield Lane (2016)
103 minutos
Direção: Dan Trachtenberg
Roteiro: Damien Chazelle, Josh Campbell e Matt Stuechen
Produção: J.J. Abramns e Lindsey Weber

Avaliação: **

Comentários

  1. Gostei da análise, mr. Zanotte.
    Eu também achei que "tava mei ruim, mei pior, depois tava bão, agora parece que piorou" hahaha.
    Mas gosto de ver o que o filme causou. Por exemplo, Rua Cloverfield, 10 é legal justamente por ser uma coisa diferente de todas as explosões e ações frenéticas que o cinema americano. Os diretores precisam inovar um pouco e fazer coisas parecidas com esse filme, porque dá certo, só tem que saber fazer direito.

    Se quiser aqui está o link da crítica no Nerd:

    http://saboiarafa.blogspot.com.br/2016/04/rua-cloverfield-10-critica.html

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é interessante ver as reações. Uns gostam, outros não.. Mas assim é possível comprar e traçar teorias sobre ele. Isso é legal...
      Valeu pela visita, Rafa!

      Excluir

Postar um comentário