Desengano e Solzinho


É, amigos... Chegamos ao final desse ano... E entre trancos e barrancos estamos por aqui ainda. A impressão que temos é que esse ano foi o pior de todos, e quem achava que nada superaria 2015; aí está.

Mas vamos separar um momento para falar de coisa boa, e coisa boa aqui no Foi Pra Estante, incluímos quadrinhos. E um quadrinho nacional: Solzinho e Desengano, de Camilo Solano.


Eu adquiri esse material na CCXP desse ano (uma coisa boa nesse ano que eu posso citar), e tive o prazer de conhecer o autor e levar meu exemplar autografado. Junto com esse material, eu peguei também Solzinho, o novo trabalho do Camilo Solano. Se eu não me engano, vi ele dizer em uma entrevista que esse material está sendo trabalhado para sair em um formato maior, e isso é muito bom (mas você encontra a versão em preto e branco no site do artista), pois a história de Solzinho pode ser bem trabalhada. Por ser um material com poucas páginas (sim, cerca de seis), e muito pequeno, não vou contar muito sobre ele. Mas eu acho impossível você não se identificar com a história, que além de curta é um tapa na cara. Vale a pena conhecer.


Você já parou para pensar se sua vida daria uma boa história, um bom quadrinho ou livro? Ou alguma parte específica dela? Pense bem. Acredito que todos nós temos uma parte de nossas vidas que poderia ser transformada em obra literária ou desenhada em um quadrinho. E Camilo fez isso.

Em Desengano, temos Juca Bertozo, um cara da cidade, um tanto esquisito, não muito sociável, que passou um bons perrengues na infância e que não gosta de Carnaval - sabe aquele momento que você se identifica com a história, não é verdade? Mas em uma dessas férias a família decide passar o Carnaval no interior, na casa dos avós. Como ele não gosta de Carnaval era uma boa ideia, já que interior não costuma ter festas muito grandes como nas grandes cidades.



Depois de uma "agradável" viagem em família, eles chegam à São Manuel. E sabemos como é quando estamos na casa de parentes que não vemos há tempos, não é? Na cidade é tudo muito calmo e monótono. O tempo não passa. Mercadinho de interior. Onde todos se conhecem e conversam de tudo na fila ou no caixa - sim, de tudo. Ter que explicar sempre que é da capital. E achar os modos dos interioranos muito estranhos (eu já passei por essa fase).

Quando alguns integrantes da família resolvem assistir ao desfile de carnaval, outros vão fazer outras coisas, e Juca fica lá. Sentado na varanda. De boas. Mas ele resolver ir ao desfile por pedido do avô que queria que Juca trouxesse algo de lá. Ele então cria coragem e vai. Ao chegar no desfile ele já começa a analisar as pessoas, os carros alegóricos, os integrantes das escolas, - aqui cabe uma dica pessoal: se você nunca foi a um desfile de carnaval de interior, vá. Pelo menos uma vez. Não que eu goste, mas com certeza você vai rir um pouco - e começa achar tudo até divertido. Mas o que ele não sabe, é que esse pequeno passeio ao desfile de carnaval pode mudar sua vida.



Desengano é muito bem escrito, é rápido, as ideias estão ali, é divertido - me peguei por vezes rindo de canto de boca e até soltei umas risadas altas - e faz com que você pense como é a vida das outras pessoas. Como é o ritmo das cidades menores. O que seus moradores fazem para se divertir. O que eles possuem como entretenimento. Por vezes nossa chatice nos impede de conhecer coisas boas e pessoas melhores ainda. Temos nossos gostos pessoais sim, isso é óbvio. Mas às vezes vale a pena dar uma espiada, uma olhada, apenas para saber como é algo. Pode ser que sua vida mude naquele exato momento.

Eu e Camilo Solano na CCXP 2016

Desengano não foi escrita pra mim, mas falou comigo. Me vi ali dentro, eu era Juca em diversas situações. E é muito bom quanto temos esse tipo de conexão com a obra. Estamos em uma fase ótima de material nacional, vários autores, desenhistas, coloristas com ótimos trabalhos. Infelizmente não posso ter tudo que gostaria, mas o meu conselho à você é: Não deixe passar se tiver a oportunidade. Não tenha em mente que quadrinho é coisa de criança ou resume-se apenas à Super-Heróis. Não! Há um universo nessa nona arte. Um universo ainda a ser desvendado pelos artistas. E Camilo Solano é um desses, além de um ótimo artista, um cara super simpático e gente boa. Virei mais fã do cara, e com certeza vou querer outros materiais dele. Desengano é uma leitura rápida, mas divertida. Faça um café, sente e aproveite. Tenho certeza que irá gostar.


E vou terminando esse ano por aqui. Gostaria de agradecer novamente à todos que passaram aqui, deixaram um recado aqui ou nas redes sociais, viram meus vídeos (que eu ainda nem acredito que fiz). À todos vocês que de uma forma uma forma ou outra me deram uma força para continuar a escrever, minha esposa Adriana, meu sobrinho Daniel, meu "parça" Rafael Sabóia do Nerd nas Estrelas, pela força e pelas ajudas, o casal das Terras do Sul Alessandro e Natália (colaboradora no FPE), Karol Rodrigues do canal Tem Que Ler, o pessoal da Equipe Super Amigos do Whatsapp e todos que de uma forma ou outra passaram por aqui.... 

Valeuzão mesmo... E que 2017 seja um ano ótimo para todos nós... E que possamos ler muito... e ver muitas séries e filmes!!!!

Abraços à todos!!!

Feliz 2017!!!



Comentários