Powerless (DC) - Série


Contém Spoilers

Powerless é a primeira série de "comédia" do Universo DC que é transmitida na NBC americana. Com Vanessa Hudgens (Emily Locke), Dany Pudi (Teddy), Christina Kirk (Jackie), Ron Funches (Ron) e Alan Tudyk (Van Wayne). 

Coloquei "comédia" - entre aspas - pelo simples fato de não ter achado graça em nada no primeiro episódio. Muito pelo contrário, achei muito do chato. Único destaque vai para a abertura que é muito legal, onde aparecem principais heróis da DC (em comics), no mais parece ser uma série genérica com personagens genéricos e estereotipados. Se o intuito do episódio piloto é fazer você se interessar pela série, esse não funcionou comigo, mas - sempre tem um - por se passar no Universo DC e ter os personagens (mesmo que mencionados várias vezes), pode ser que faça alguma ligação com outra série ou filme. "Pode ser". Até então parece-me que são apenas cinco episódios de uns 25 minutos, então tá para acompanhar mesmo não sendo lá essas coisas. 

Raposa Escarlate salvando o dia
Emily Clark (Vanessa Hudgens) vai trabalhar em uma das empresas Wayne em Charm City, uma cidade acostumada com super-vilões e super-heróis (me lembrou um pouco os quadrinhos Astro City). Ela se empolga ao ver uma luta entre Jack O' Lantern e Raposa Escarlate (acho que é esse o nome), enquanto as outras pessoas bocejavam ou mexiam em seus celulares. 

Emily é o tipo de pessoa empolgada que vê esperança tem tudo, tenta sempre motivar à todos e carrega como um manual um livro escrito por Bruce Wayne. Sério... Bruce Wayne escreveu um livro com muitas frases motivacionais. A empresa que ela vai trabalhar cria sistemas e aparelhos de segurança para as pessoas, e é comandada por Van Wayne, primo de Bruce (outro "sério?", Bruce tem um primo) mas que anda mal das pernas por não criarem nada de "útil". O único objetivo de Van é ir para Gotham City. Ele não está nem ai para sua empresa nem para seus funcionários. É ai que entra Emily. Sendo a quinta opção de uma lista de candidatos ela tem a missão de fazer com que Van vá para Gotham. Isso mesmo. Ele diz que a missão dela é essa. 

Sim, essas caras que eu fiz enquanto assistia
Mas inesperadamente Van recebe uma ligação de seu primo, Bruce, dizendo que essa subsidiária será fechada e todos funcionários demitidos. Emily, então, vê uma chance de sucesso e tenta algo para que a empresa não seja fechada, mesmo sem nenhum apoio de sua "equipe". Em uma conversa despretensiosa com Jackie (assistente de Van), ela tem a ideia de um aparelho que pode não salvar, mas adiar o fechamento da empresa. Então ela pede ajuda à sua equipe e de um dia para o outro eles criam um aparelho que detecta o odor de Jack O' Lantern, o super-vilão, dando tempo para que as pessoas possam fugir. O aparelho é aceito por Bruce Wayne e a empresa é salva, por enquanto. 
No dia seguinte o noticiário mostra a prisão do Coringa que foi feita pelo Batman que usou um aparelho que detectou o odor dele (!!!). A única coisa que os membros da equipe falam é que o Batman tem um aparelho igual ao deles e que seria muito legal se eles trabalhassem para o Batman. 

Posso estar pegando pesado, ou algo do tipo, mas realmente achei muito fraco e chato esse primeiro episódio, mas como falei, vou tentar acompanhar pelo fato de ser e estar no Universo DC. Mas se continuar nesse ritmo, acredito que não vá durar muito. Vai ter que melhorar muito para surpreender.


Comentários

Postar um comentário