Já Não Me Sinto Em Casa Nesse Mundo [Filme Netflix]



Para poder funcionar, a sociedade, precisa de regras e leis. Isso é fato. Mesmo que muitos achem que não, essa é uma verdade absoluta (ou não). Mas sempre existem aqueles que não seguem essas regras ou leis. Seja por se acharem superiores aos outros, por achar que ninguém deve dizer o que ele pode ou não, não sei. Por algum motivo essas pessoas não gosta ou não se importam em seguir as regras. E isso vem crescendo de forma exponencial. 

Quem nunca levou uma fechada no trânsito e a pessoa que fechou ainda xingar você? Ou entrar numa fila de 15 itens de supermercado e ter uma pessoa com um carrinho cheio? Aquele carro que joga fumaça preta na cara dos outros e o motorista pouco se importa. Aquele passeio com o cachorro de estimação, que deixa "lembranças desagradáveis e fedorentas" à sua porta? Aquele spoiler que acaba com seu dia? Racismo, preconceito ou pura estupidez. Mas o ápice de tudo isso é quando somos roubados, assaltados ou temos nossas casas invadidas. Mesmo sendo pessoas boas e honestas somos abusados dos nossos diretos, somos roubados em nosso próprio lar, e nos retiram bens que conseguimos com suor do nosso rosto. E, muitas vezes, as autoridades não podem, ou simplesmente não vão fazer nada. Seja pela burocracia absurda, falta de mão de obra ou simplesmente por "não dar em nada". Como fazer, então.



Ruth Kimke (Melanie Lynskey) tem uma vida rotineira e já está de saco cheio de tudo. Ela passa por quase todas essas situações que passamos de forma calma e calada. Apenas deixando acontecer. Mas um certo dia, ao chegar do trabalho ela percebe que sua casa foi invadida e alguns bens foram levados. Ela chama as autoridades, mas o detetive deixa claro que não vai fazer nada, já que não adianta. Claro que ela sente-se violada, esquecida, ignorada. Ruth, então, decide resolver tudo por conta própria. levando ao pé da letra os termos "Justiça com as próprias mãos" ou "Olho por olho, dente por dente". 


Ruth começa a fazer tudo sozinha, até ter a ajuda de seu vizinho, Tony (Elijah Wood) e fazem tudo de um modo um tanto hilário em certo pontos que é difícil entender que alguém faria mesmo aquilo. É o famoso "fazer nas coxas". Mesmo sem uma coragem absurda ela encara algumas situações que uma pessoa normal não encararia. Seguindo suas pistas e instintos ela chega à Chris (Devon Gravye) e seu grupo de criminosos degenerados. Em certos momentos chega a ser uma "comédia de erros", uma coisa leva á outra e tudo leva à destruição. O filme vai nessa levada até um pouco antes dos trinta minutos finais onde há um mudança na situação e tudo parece degringolar. Nesse momento tudo acontece rápido demais, 



Quando vi o trailer me interessei, achei algo no estilo o clássico "Um Dia de Fúria", mas com uma outra abordagem, uma outra visão. Mas acabei me decepcionando um pouco. A ideia é interessante, é algo que todos nós passamos diariamente. Mas parece que faltou algo. O filme apresenta os personagens, com exceção de Ruth, de forma superficial, sem muitas motivações, parece que eles apenas fazem por fazer. Não dá para entender bem os motivos que os levaram a chegar naquele ponto e tomar aquelas atitudes. 

Não deixa de ser um filme interessante, com um tema recorrente e com uma abordagem diferente, mas poderia ter sido muito melhor. Se você não tiver mais nada na sua lista ou não sabe o que assistir naquele dia tedioso, pode ser uma boa, mas cuidado para não se sentir com um pouco de raiva. 






 Já Não Me Sinto Em Casa Nesse Mundo
I Don't Feel In This World Anymore - 2017
Direção: Macon Blair
Elenco: Melanie Lynskey, Elijah Wood, Jane Levy, Devon Graye

Netflix

***

Comentários